Dados do Acervo - Dissertações

Número de Chamada   
 
372.9811    K88p    1994    DIS   
Autor Principal Khoury-Carvalho, Hilma Tereza Torres
Entradas Secundárias - Autor Codo, Wanderley , 1951- orientador
Universidade Federal do Pará . Núcleo de Altos Estudos Amazônicos . Curso Internacional de Mestrado em Planejamento do Desenvolvimento .
Título Principal Professores, trabalho e saúde mental : o primeiro grau menor em escolas públicas / Hilma Tereza Torres Khoury-Carvalho ; orientador, Wanderley Codo
Publicação Belém : [s.n.], 1994.
Descrição Física 84 f. ; 30 cm
Notas Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Pará, Núcleo de Altos Estudos Amazônicos, Curso Internacional de Mestrado em Planejamento do Desenvolvimento, 1994
Inclui bibliografia e anexos
Resumo : O propósito deste estudo foi investigar as relações entre a saúde mental e o trabalho de 104 professores do primeiro grau menor, em 4 escolas públicas das redes estadual e municipal, na cidade de Belém/Pará. A hipótese básica e geral, afirmava que o perfil de produção determina o perfil de características psico-patológicas da categoria profissional. Os dados foram coletados através de ficha, para dados demográficos; Inventário Multifásico Minesota de Personalidade (MMPI), para construção do perfil epidemiológico: observações do processo de trabalho das professoras e entrevistas com uma amostra delas, com diretoras e supervisoras das escolas, e com um dirigente sindical da categoria, para elaboração do perfil de trabalho. A análise dos dados se processou de forma quantitativa e qualitativa, por meio de recursos estatísticos simples e de concepção teórica interdisciplinar, integrando conhecimentos da psicologia e da sociologia do trabalho, bem como da epidemiologia social. Os resultados mostraram elevada prevalência de suspeita de sofrimento psíquico (22,4%) entre as professoras estudadas, assim como uma diferença entre as estaduais e as municipais. Estas revelaram melhores condições de trabalho, e menor número de escalas clínicas prevalentes no MMPI (Hs, 66,7%) que aquelas (Hs, 54,6% e Pd, 63,6%). Os resultados parecem confirmar, também, a suposição de que a ruptura entre objetividade-subjetividade (alienação) no trabalho do professor, se daria fundamentalmente pela contradição entre os significados pessoal e social de seu trabalho, reais ou mágicos, de reapropriação daquela ligação, como forma de preservar sua saúde mental. Os dados sugerem que a representação que o professor faz da sua profissão como vocação, missão; do seu aluno, como filho; e do seu papel, como mãe ou tia, são formas mágicas de defesa de sua saúde mental, de religar a sua concepção do papel do professor como um educador, ao seu trabalho concreto, cujo significado social se traduz na preparação de força de trabalho para o capital, impondo-lhe duras condições.
Assuntos Professores de ensino de primeiro grau - Saúde mental Belém (PA)
Trabalho - Aspectos psicológicos
Trabalho - Aspectos sociais